terça-feira, 17 de abril de 2018

O amor que eu mereço


Quero alguém para conversar horas e horas diante daqueles dias chatos. Alguém que seja além de uma companhia passageira diante das minhas solidões.
Quero alguém que viva mais os meus silêncios,pois silêncio também é intimidade. Alguém que me faça querer voltar todos os dias.
Quero alguém que sacie não minhas carências, mas que preencha os meus vazios. Que seja essência além da aparência.
Quero alguém que não me de somente amor, mas que seja o meu amor. Alguém que seja a minha luz diante dos dias escuros.
Quero alguém que não seja tão doce assim, mas seja o meu pote de Nutella. Alguém que seja o meu cais, diante do caos que sou de vez em quando.
Quero alguém que não se importe com meus defeitos, que não seja perfeito, mas que me entenda quando daqueles dias
Em que eu nem mesma me entendo. Alguém com quem eu possa voltar a conversar depois de uma discussão.
Alguém que seja a minha música predileta, a canção que faz o meu coração dançar de salto alto, sem medo de pagar mico.
Quero alguém a quem eu possa olhar para o universo e sentir-me a mais reluzente dentre as estrelas.
Quero alguém com quem eu possa fofocar, cochichar que seja o meu amigo (a), pois o amor é cercado de cumplicidade e amizade.
Quero alguém que seja não a minha cura, mas o meu remédio imediato, quando das minhas gripes e dores internas.
Quero alguém que seja o meu presente diariamente. Alguém que venha sem prazo para ir. Alguém que me faça crer que vai ser dessa fez.
Quero alguém que seja a minha paz, mas que também seja a minha bagunça. Alguém que me conserte aos poucos.
Quero alguém que seja a minha balada preferida, o meu filme, romance predileto, a minha viajem dos sonhos.
Quero alguém que seja a minha bebida mais forte, a minha ressaca mais doce. Alguém que seja o meu beijo mais quente diante dos dias invernais.
Quero alguém que seja a minha direção diante dos ventos contrários da vida. Alguém que seja aminha segurança e proteção diante dos meus medos, neuras e loucuras.
Alguém que seja o meu plano A e B enquanto o tempo passa. Alguém que não se importe tanto com a amanhã e seja o meu hoje sempre.
O amor que eu mereço, dele só quero e desejo reciprocidade e que seja amor. Apenas que seja amor.

Leandro M. Cortes

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Elas são imortais






“Mãe, quem dera se por um descuido, Deus te fizesse eterna”. Concordo plena e eternamente com a frase.
Mãe quem dera se deus te fizesse imoral, imune as intempéries do tempo e as mazelas do mundo.
Mãe é certeza diante das incertezas, é segurança diante das inseguranças. Mãe é guerreira sem armadura.
Mãe é aquela que sempre segura nossas barras, enquanto seguramos na barra das suas calças.
Mãe é insistência diante das nossas quase desistências. Mãe é a memória vida do nosso passado.
É enciclopédia, biblioteca viva a nossa inteira disposição. Mãe é coadjuvante diante do nosso protagonismo.
É tão bom ser criança, é tão bom ser adulto, é tão bom ser livre, mas essa liberdade assistida é ainda melhor.
Mãe é uma viagem, mãe paga mico, mãe erra na ânsia de acertar. Os melhores conselhos vêm delas, o faro de mãe nunca falha.
Mãe é bússola diante do mundo, é referência diante da vida. Mãe é agasalho, é calor, é amor diante da frieza do mundo.
Mãe é aprendiz diante da vida, é a nossa escola diante da vida. Mãe é apartidária, mas é a nossa eleitora mais fiel.
Mãe é antiquada, que nada, mãe é moderníssima. Mãe é palavra que nunca sai de moda,
Mãe é marca registrada diante do mundo. Somos um, somos, dois somos, três, somos quatro... Mas mãe é uma só.
Mãe é essência, enquanto o mundo é aparência. Mãe erra na ânsia de acertar. Mãe chora, ora, mãe é proteção.
Mãe é atenção, é preocupação, é coração, é exagero, É dramática, é performática. Mão não faz anos, mãe é atemporal.
Mãe é essa eterna ligação por esse cordão umbilical invisível. Mãe é graça, é de graça. É graça de Deus
Mãe quem dera se por um descuido Deus te fizesse imortal.


Leandro M. Cortes